Ministério São Bento

A formação do músico católico é fundamental e a pedra principal é sua obediência e concordância litúrgica.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Sugestões Litúrgicas: Assunção de Nossa Senhora – 16 de agosto 2009

Dia das Vocações Religiosas

Mês das vocações

- Encerramento da Semana Nacional da Família

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”

Leituras:
1a. Leitura Ap 11,19a; 12,1.3-6a.10ab

Salmo - : 45/44

2a. Leitura 1Cor 15,20-27a

Evangelho: Lc 1,39-56

COR LITÚRGICA: BRANCA ou DOURADA

ELEMENTO LITÚRGICO
Em 1950, o Papa Pio XII definiu a Assunção de Maria como dogma, ou seja, como ponto referencial de sua fé. Maria, no fim de sua vida, foi acolhida por Deus no céu “com corpo e alma”, ou seja, coroada plena e definitivamente com a glória que Deus preparou para os seus santos. Assim como ela foi a primeira a servir Cristo na fé, ela é a primeira a participar na plenitude de sua glória, a “perfeitissimamente redimida”. Maria foi acolhida completamente no céu porque ela acolheu o Céu nela – inseparavelmente.

SÍMBOLO LITÚRGICO
Uma imagem ou ícone de Nª Sr. da Glória.

 Ornamentar o espaço celebrativo com carinho e criatividade. Preparar um bonito lugar de destaque para a imagem de Nossa Senhora, enfeitado com flores e com uma faixa ou cartaz com os dizeres: “Mãe Maria, protegeias famílias de nossa comunidade!” Onde houver religiosas(os), envolvê-las(os) na celebração. Para iniciar, enquanto se canta repetidas vezes, de forma suave e orante o refrão abaixo, uma família entra com um bonito arranjo de flores e coloca-o aos pés da imagem de Nossa Senhora e um grupo de adolescentes ou jovens incensa solenemente o espaço celebrativo e a imagem de Maria.
OUVISTE A PALAVRA DE DEUS, GUARDASTE EM TEU CORAÇÃO, FELIZ PORQUE CRESTE, MARIA, POR TI NOS VEM A SALVAÇÃO! INTRODUÇÃO

Animador(a) - Queridos irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos à celebração do Mistério Pascal de Cristo, hoje manifestado de forma especial na Assunção de Nossa Senhora. Maria elevada aos céus, coroada pela glória celeste, brilha para nós aqui na terra como sinal de esperança na vida eterna e como exemplo de doação e compromisso com o projeto do Pai.
Animador(a) - Unidos a Isabel, hoje proclamamos Maria como “bendita entre as mulheres”, porque a ela foi dada a graça de conceber, gerar e nutrir o Cristo e formar com José a família terrena do Salvador. Celebrando hoje o encerramento da Semana da Família, rezemos pelos participantes da XVIII Assembleia Vocacional, pelas religiosas e pelos religiosos, cuja opção pela vida consagrada brota do exemplo de Maria, rezemos também pelas comunidades que hoje celebram o seu padroeiro.
Cantemos alegremente. Procissão de entrada: crucifixo ladeado por velas, Lecionário (ou Bíblia) conduzido pelos leitores, ministros e presidente. MINHA ALMA GLORIFICA O SENHOR O “Magnificat”, canto entoado por Maria no encontro com Isabel, é a expressão mais profunda da fé em Deus. Maria foi sempre sinal fecundo dessa fé e por isso foi agraciada pelo amor ilimitado de Deus.
A solenidade da Assunção, que hoje celebramos, revive a glorificação da Mãe de Jesus e reafirma a certeza de nossa própria redenção. Hoje também celebramos o dia das Vocações Religiosas. Rezemos por esses homens e mulheres que consagram sua vida em favor dos mais necessitados.

1. CANTO DE ENTRADA
De alegria vibrei no Senhor,/ pois vestiu-me com sua justiça,/ Adornou-me com jóias bonitas,/ como esposa do rei me elevou.
1. Transborda o meu coração/ em belos versos ao rei,/ Um poema, uma canção com a língua escreverei./ De todos és o mais belo,/ a graça desabrochou/ Em teu semblante, em teus lábios/ pra sempre Deus te abençoou.
2. Valente, forte, herói. Pela verdade a lutar,/ a justiça a defender, vitorioso tu serás./ Lutas com arma e poder, o inimigo a correr,/ Eterno é o teu trono, ó Deus, é retidão para valer!

2. SAUDAÇÃO
— Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. — Amém.
— Irmãos e irmãs, alegremo-nos todos no Senhor, celebrando a Assunção da Virgem Maria; os Anjos se alegram e dão glória ao Filho de Deus. Que Deus, nosso Pai, vos dê a sua graça e a sua bênção, no amor e na paz de nosso Senhor Jesus Cristo e na comunhão do Espírito Santo.
— Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL
— Nem sempre somos agradecidos a Deus pelos dons que recebemos de sua bondade. Reconheçamos nossas limitações e confiando na misericórdia do Pai, peçamos perdão. (Pausa)
— Pelas vezes que deixamos de lado os mais abandonados e excluídos!
— Piedade de nós, Senhor!
— Pelas vezes que não soubemos servir os mais necessitados!
— Pelas vezes que fomos omissos nos trabalhos voluntários!
— Pelas vezes que não partilhamos os bens materiais!
— Pelas vezes que não partilhamos os dons espirituais!
— Deus todo-poderoso e cheio de misericórdia tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

4. HINO DE LOUVOR
Glória a Deus nas alturas/ e paz na terra aos homens por ele amados./ Senhor Deus, Rei dos céus,/ Deus Pai todo-poderoso./ Nós vos louvamos,/ nós vos bendizemos,/ nós vos adoramos,/ nós vos glorificamos,/ nós vos damos graças/ por vossa imensa glória./ Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito,/ Senhor Deus,/ Cordeiro de Deus,/ Filho de Deus Pai./ Vós, que tirais o pecado do mundo,/ tende piedade de nós./ Vós, que tirais o pecado do mundo,/ acolhei a nossa súplica./ Vós, que estais à direita do Pai,/ tende piedade de nós./ Só vós sois o Santo,/ só vós, o Senhor,/ só vós, o Altíssimo,/ Jesus Cristo,/ com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

5. ORAÇÃO
Deus eterno e todo-poderoso, que elevastes à glória do céu em corpo e alma a imaculada Virgem Maria, Mãe do vosso Filho, dai-nos viver atentos às coisas do alto, a fim de participarmos da sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 6. PRIMEIRA LEITURA (Ap 11,19a; 12,1.3-6a.10ab)
A mulher vestida de sol é a figura de Maria que resplandece no céu ao lado de Deus. Ela é a mãe da Igreja, que sofre perseguições, mas que mantém sua fidelidade ao evangelho.

Leitura do Livro do Apocalipse de São João:
19aAbriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a Arca da Aliança. 12,1Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. 3Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. 4Com a cauda, varria a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher, que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. 5E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Mas o Filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. 6aA Mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar. 10abOuvi então uma voz forte no céu, proclamando: “Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo”. — Palavra do Senhor! — Graças a Deus!

7. RESPONSÓRIO (Sl 44)
— À vossa direita se encontra a rainha,/ com veste esplendente de ouro de Ofir. — À vossa direita se encontra a rainha,/ com veste esplendente de ouro de Ofir. — As filhas de reis vêm ao vosso encontro,/ e à vossa direita se encontra a rainha/ com veste esplendente de ouro de Ofir.
— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ “Esquecei vosso povo e a casa paterna!/ Que o rei se encante com vossa beleza!/ Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!
— Entre cantos de festa e com grande alegria,/ ingressam, então, no palácio real”.

8. SEGUNDA LEITURA (1Cor 15,20-27a)
A Ressurreição de Jesus Cristo é a garantia de nossa própria redenção. Seremos resgatados de todos os males. O último inimigo a ser vencido será a morte!

Leitura da Primeira Carta de São Paulo apóstolo aos Coríntios:
Irmãos e Irmãs: 20Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. 22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. 24A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. 25Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte. 27aCom efeito, “Deus pôs tudo debaixo de seus pés”. — Palavra do Senhor. — Graças a Deus! 9.

ACLAMAÇÃO
— Aleluia, aleluia, aleluia! (bis)
— Maria é elevada ao céu/ Alegram-se os coros dos anjos.

10. EVANGELHO (Lc 1,39-56)
O evangelho de hoje é a síntese perfeita entre ação e oração. No relato da visitação transparece a grande sensibilidade de Maria pelas necessidades de seu povo e o canto do “Magnificat” reflete sua grande sintonia com Deus. -

O Senhor esteja convosco! — Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas. — Glória a vós, Senhor!
Naqueles dias, 39Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o respeitam. 51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor!

PREPARANDO A PARTILHA DA PALAVRA
Maria percorreu um caminho de fé às vezes cansativo, não entendeu tudo rapidamente, pediu explicações ao anjo, maravilhou-se muitas vezes do que se dizia de seu Filho e em várias circunstâncias não entendeu as escolhas que Jesus fazia. O projeto de Deus para ela e para seu Filho permaneceu misterioso até que chegou a luz da Páscoa. Nos primeiros anos de vida da Igreja, encontramos Maria inserida na comunidade em Jerusalém. Maria é, portanto, uma irmã que vive as alegrias e as dores, as angústias e as esperanças de todos os irmãos da comunidade. Esta irmã é, porém, muito especial, pois foi escolhida por Deus para gerar o Salvador. E, mesmo estando grávida, se coloca a caminho para visitar sua prima Isabel, a quem Deus havia concedido o dom da maternidade mesmo sendo ela de idade avançada. Com o encontro de Jesus e de João Batista, ainda no ventre de suas mães, termina o tempo das promessas e se inicia o tempo da realização. Por isso, Isabel saúda a prima dizendo: “Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. A primeira leitura é uma reflexão endereçada às comunidades cristãs, sofredoras e desanimadas, para que descubram melhor o significado da fé no Ressuscitado em meio aos sofrimentos da vida. Estar vestida de sol lembra a glória com que Deus, o Criador, está vestido.As doze estrelas representam as doze tribos de Israel. Então, a Mulher, adornada de todo o seu esplendor - o sol, a lua, as doze estrelas - simboliza tanto o povo de Deus, o antigo Israel, como também a Igreja, corpo de Cristo. Um e outro são vítimas das perseguições do Dragão, símbolo de dominação. Na segunda leitura, Paulo mostra que os cristãos de Corinto não teriam tido tantos problemas e conflitos se tivessem entendido e aceitado a ressurreição. Se em Adão todos morreram, em Cristo todos viverão. O pecado trouxe a morte a todos. A ressurreição de Cristo traz vida a todos. Maria assunta ao céu é a criatura que atingiu a plenitude da salvação. Ela é bem-aventurada porque acreditou e sua fé foi expressa por meio de ações concretas, como, por exemplo, pelo serviço a Isabel. Nossa participação na missão do Filho e em sua experiência pascal se dá no cotidiano da vida, na atenção que podemos dedicar a alguém, a algum projeto. Toda a vida de Maria foi um constante assumir a vontade do Senhor. Ela, a Serva do Senhor, é feliz, pois soube escutar e guardar a Palavra de Deus.

 11. PROFISSÃO DE FÉ
Creio em Deus Pai todo-poderoso,/ criador do céu e da terra./ E em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor,/ que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;/ nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos,/ foi crucificado, morto e sepultado./ Desceu à mansão dos mortos,/ ressuscitou ao terceiro dia,/ subiu aos céus;/ está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso,/ donde há de vir a julgar os vivos e os mortos./ Creio no Espírito Santo;/ na Santa Igreja Católica;/ na comunhão dos santos;/ na remissão dos pecados;/ na ressurreição da carne;/ na vida eterna. Amém.

12. PRECES DOS FIÉIS
— No dia em que a Igreja celebra a solenidade da Assunção de Maria, que ela interceda junto ao Pai por nós; e confiantes elevemos nossas preces a Deus:
— Senhor, por intercessão da Virgem Maria, ouvi-nos!
1. POR todos os Ministros da Igreja, para que tenham serenidade em suas decisões e sejam ardorosos em seus trabalhos pelo Reino, rezemos.
2. PARA que Deus conceda misericórdia aos pecadores e os conduza nos caminhos da conversão e da salvação, rezemos.
3. POR todos os sofredores, principalmente aqueles que estão à margem da sociedade e de nossa convivência, para que por nossa caridade tenham conforto humano e espiritual, rezemos.
4. PELAS crianças e adolescentes que vivem abandonados e sem rumo, para que abramos nosso coração e os acolhamos em nosso meio e em nossas famílias, rezemos.
5. POR aqueles que assumiram a Vida Religiosa, para que vivendo sua consagração, sejam generosos, acolhedores e tenham palavras e gestos de solidariedade e de paz, principalmente com os pobres e excluídos, rezemos. (Outras Intenções)
— Senhor Deus de bondade, pela intercessão amorosa de Maria, ouvi estes pedidos que fazemos com especial solicitude. Por Cristo nosso Senhor. — Amém.

13. CANTO DAS OFERENDAS
1. É grande o Senhor, é o nosso Deus!/ Atento aos corações, buscou em Nazaré:/ Dentre os humildes, Maria foi eleita,/ Vinde todos celebrar tamanha fé! Fez em mim grandes coisas/ De um jeito bem novo,/ Que acolhe, que integra./ Fez visita ao seu povo,/ Falou e cumpriu,/ A minh’alma se alegra!
2. Fiel, compassivo é o nosso Deus!/ Atento a toda dor, conosco vem morar:/ Dispensa orgulho e poder, nutre os famintos./ Vinde, pois, toda esperança celebrar!

14. SOBRE AS OFERENDAS
— Orai, irmãos e irmãs, para que, levando ao altar as alegrias e fadigas de cada dia, nos disponhamos a oferecer um sacrifício aceito por Deus Pai todo-poderoso. — Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício,/ para glória do seu nome,/ para nosso bem/ e de toda a santa Igreja.
— Suba até vós, ó Deus, o nosso sacrifício, e, pela intercessão da Virgem Maria, elevada ao céu, acendei em nossos corações o desejo de chegar até vós. Por Cristo, nosso Senhor.

 15. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II
— O Senhor esteja convosco! — Ele está no meio de nós. — Corações ao alto! — O nosso coração está em Deus. — Demos graças ao Senhor, nosso Deus. — É nosso dever e nossa salvação.
NA VERDADE, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Hoje, a Virgem Maria, Mãe de Deus, foi elevada à glória do céu. Aurora e esplendor da Igreja triunfante, ela é consolo e esperança para o vosso povo ainda em caminho, pois preservastes da corrupção da morte aquela que gerou, de modo inefável, vosso próprio Filho feito homem, autor de toda a vida. Enquanto esperamos a glória eterna, com os anjos e com os santos, vos aclamamos, jubilosos, cantando (dizendo) a uma só voz:
— Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!
NA VERDADE, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo e † o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.
— Santificai nossa oferenda, ó Senhor!
ESTANDO para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:
TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.
Eis o mistério da fé! — Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição.
CELEBRANDO, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir.
— Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! E NÓS vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.
— Fazei de nós um só corpo e um só espírito! LEMBRAI-VOS, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o papa N., com o nosso bispo N. e todos os ministros do vosso povo.
— Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!
— LEMBRAI-VOS também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face.
— Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! ENFIM, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos, por Jesus Cristo, vosso Filho.
— Concedei-nos o convívio dos eleitos!

POR CRISTO, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. — Amém.

16. ORAÇÃO DO PAI NOSSO
— Rezemos, com amor e confiança, a oração que o Senhor Jesus nos ensinou:
— PAI NOSSO...
— Livrai-nos de todos os males, ó Pai, ...
— Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

17. ORAÇÃO PELA PAZ
— Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: eu vos deixo a paz, ....
— Amém.
— A paz do Senhor esteja sempre convosco!
— O amor de Cristo nos uniu!
— No Espírito de Cristo ressuscitado, saudai-vos com um sinal de paz.

18. FRAÇÃO DO PÃO
— Esta união do Corpo e do Sangue de Jesus, ...
— Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo...
— Senhor Jesus Cristo, o vosso Corpo e o vosso Sangue, ...
— Provai e vede como o Senhor é bom; feliz de quem nele encontra seu refúgio. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
— Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada,/ mas dizei uma palavra e serei salvo.

19. CANTO DA COMUNHÃO
1. Povo de Deus, foi assim:/ Deus cumpriu a palavra a palavra que diz:/ “Uma virgem irá conceber”,/ e a visita de Deus me fez mãe!/ Mãe do Senhor, nossa mãe,/ nós queremos contigo aprender/ A humildade, a confiança total,/ e escutar o teu Filho que diz: Senta comigo à mesa,/ Nutre a esperança, reúne os irmãos!/ Planta meu reino, transforma a terra,/ Mais que coragem, tens minha mão!
2. Povo de Deus foi assim: nem montanha ou distância qualquer/ Me impediu de servir e sorrir./ Visitei com meu Deus. Fui irmã!/ Mãe do Senhor, nossa mãe,/ nós queremos contigo aprender/ Desapego, bondade, teu “Sim”,/ e acolher o teu Filho que diz:
3. Povo de Deus, foi assim:/ meu menino cresceu e entendeu,/ Que a vontade do Pai conta mais,/ e a visita foi Deus quem nos fez./ Mãe do Senhor, nossa mãe,/ nós queremos contigo aprender/ A justiça, a vontade do Pai, e entender o teu Filho que diz:
4. Povo de Deus, foi assim:/ da verdade jamais se afastou./ Veio a morte e ficou nosso pão./ Visitou-nos e espera por nós./ Mãe do Senhor, nossa mãe,/ nós queremos contigo aprender/ A verdade, a firmeza, o perdão,/ e seguir o teu Filho que diz:

20. PÓS-COMUNHÃO
Ó Deus, que nos alimentastes com o sacramento da salvação, concedei-nos, pela intercessão da Virgem Maria elevada ao céu, chegar à glória da ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

 21. BÊNÇÃO SOLENE
— O Senhor esteja convosco! — Ele está no meio de nós.
— O Deus de bondade, que pelo Filho da Virgem Maria quis salvar a todos, vos enriqueça com sua bênção. — Amém.
— Seja-vos dado sentir sempre e por toda parte a proteção da Virgem, por quem recebestes o autor da vida. — Amém.
— E vós, que vos reunistes hoje para celebrar sua solenidade, possais colher a alegria espiritual e o prêmio eterno. — Amém.
— Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho † e Espírito Santo. — Amém.
— A alegria do Senhor seja a vossa força; ide em paz e o Senhor vos acompanhe. — Graças a Deus!

“MULHER, GRANDE É A TUA FÉ!”

Fontes: O Messias , Filho de Deus, caminha à nossa frente, CNBB, Paulus/Paulinas, 2006 Dia do Senhor, Marcelo Guimarães e Penha Carpanedo, Tempo Comum Ano B, Paulinas, 2003 Liturgia Dominical, Johan Konings, Vozes, 2003 Missal Romano Hinários Litúrgicos da CNBB Ofício Divino das Comunidades (OCD), Paulus, 1994  HYPERLINK "http://www.redemptor.com.br" www.redemptor.com.br  HYPERLINK "http://www.arquidiocese-sp.org.br" www.arquidiocese-sp.org.br  HYPERLINK "http://www.diocesedecolatina.org.br/adm/pdf/diadosenhor_28.pdf" http://www.diocesedecolatina.org.br/adm/pdf/diadosenhor_28.pdf

Nenhum comentário: