A formação do músico católico é fundamental e a pedra principal é sua obediência e concordância litúrgica.

PESQUISA

Carregando...

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Introdução ao espírito da liturgia

Proponho focar em alguns aspectos ligados ao espírito da liturgia e refletir sobre eles convosco; na verdade, pretendo abordar um aspecto que vai exigir bastante de mim. Não apenas porque é uma tarefa exigente e complexa falar sobre o espírito da liturgia, mas também porque muitas obras importantes sobre este assunto já foram escritas por autores de alto calibre inquestionável em teologia e liturgia. Penso em duas pessoas em particular dentre muitos: Romano Guardini e o Cardeal Joseph Ratzinger.

Por outro lado, atualmente é mais do que necessário falar sobre o espírito da liturgia, especialmente para nós membros do sacerdócio sagrado. Mais ainda, há uma necessidade urgente de reafirmar o “autêntico” espírito da liturgia, tal como está presente na tradição ininterrupta da Igreja e atestado, em continuidade com o passado, nos ensinamentos mais recentes do Magistério: desde o Concílio Vaticano II até

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Festa de São João Paulo II

Pela primeira vez após a canonização, a Igreja em todo o mundo celebra nesta quarta-feira (22) a festa litúrgica de São João Paulo II. No Brasil, diversas paróquias dedicadas ao santo realizam novenas preparatórias e festejos solenes.

Durante a audiência geral na Praça de S. Pedro o Papa Francisco recordou a memória litúrgica de S. João Paulo II dirigindo-se aos peregrinos polacos presentes na audiência. Foram estas as suas palavras:


“Saúdo cordialmente os peregrinos polacos vindos a esta audiência. Hoje celebramos a memória litúrgica de S. João Paulo II, o qual convidou todos a abrirem as portas a Cristo;

Orientações Pastorais, A música Litúrgica no Brasil -Parte 4

O CANTO NA LITURGIA

1) Música para pôr em evidência os “sinais dos tempos” (Lc 24,13-24)

A ousadia dos cristãos começa pela sinceridade crítica ao encarar a realidade e pela franqueza ao emitir seu ponto de vista sobre ela. Esse olhar, feito de verdade e amor, resulta numa sabedoria semelhante à de Maria, tal como podemos encontrar em Lucas, e nos capacita tanto para anunciar quanto para denunciar.

Quando, então, a assembléia se reúne, especialmente no dia do Senhor, para celebrar a sua fé, traz para a celebração toda essa realidade de vida do povo, partilhada e meditada. E ao “fazer memória” dos acontecimentos que passaram, vai sentir necessidade de cantos, de

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Como escolher Músicas para Missa com base no ensino 79 da CNBB e no Missal Romano - Amém

Amém
As aclamações: Em cada celebração Eucarística, cinco aclamações, necessariamente, devem ser cantadas, mesmo naquelas celebrações em que nenhuma outra parte for cantada: o "Aleluia", o "Santo", a Aclamação Memorial (logo após a narrativa da Instituição da Eucaristia), o grande "Amém" (após a doxologia final) e o "Vosso é o Reino..." (após o embolismo que se segue ao Pai-nosso). Na Celebração Dominical da Palavra, três destas aclamações não podem faltar: o "Aleluia", antes do Evangelho, o "Santo", após o canto da "louvação", e o "Vosso é o Reino", após o Pai-nosso.

O grande “Amém” (Doxologia) (Rm 1,25; Ap 22,20ss)

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Músicas para a Missa do 30° Domingo do Tempo Comum - Ano A

II semana do Saltério
Mestre, qual é o  maior mandamento da lei?

cor verde

Entrada: Quero louvar-te (Louvemos o Senhor -cd Louvemos o Senhor Volume 3-4-5)


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Orientações Pastorais, A música Litúrgica no Brasil -Parte 3

MINISTÉRIOS E SERVIÇOS DO CANTO

1) A unidade da assembléia e a diversidade dos serviços

Quando a assembléia litúrgica se reúne para celebrar o Mistério de Cristo, ela se serve de pessoas (os diversos ministros), e de coisas (música, flores, incenso, velas etc.) que passam, então, a desempenhar um papel ministerial na celebração.

Em se tratando de pessoas, aí está a Equipe Litúrgica, que cuidou da preparação da celebração e vai assumir as várias tarefas de animação e coordenação. Dela faz parte o ministro ordenado, diácono, presbítero ou bispo, mas também toda a sorte de servidores e servidoras, pessoas encarregadas da limpeza e ornamentação

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Orientações Pastorais, A música Litúrgica no Brasil -Parte 2

A NATUREZA SACRAMENTAL DA MÚSICA LITÚRGICA


1) Música ritual

Nossas celebrações são acontecimentos simbólicos. Não são, em primeiro lugar, momentos de doutrinação e aprendizado, de debate ou deliberação, de avaliação ou planejamento, nem mesmo de meditação ou oração individuais. Um pouco disso tudo pode até haver, mas o que se busca no momento celebrativo é transcender o cotidiano e ir além do superficial, atingir em profundidade o âmago da existência, o mistério de tudo quanto se vê e se toca. É encontrar-se com os outros num clima de poesia e intuição, num instante de profunda comunhão e transcendência, que permite a todos entrar em sintonia com o grande Outro.