A formação do músico católico é fundamental e a pedra principal é sua obediência e concordância litúrgica.
CASO O PLAYER DE ÁUDIO NÃO CARREGUE, ATUALIZE O NAVEGADOR ATÉ QUE SEJA ATIVADO O botão "PLAY".

terça-feira, 10 de março de 2015

QUEM PLANTA AMOR, COLHE O CÉU!

Não sei se você já fez uma experiência super interessante que é plantar um feijãozinho e acompanhar todas as suas fases de crescimento… se ainda não fez, te convido a plantar um hoje. Toda semente carrega dentro dela uma vida, que se plantada e cuidada produz um fruto… e no caso do feijão, com certeza dará feijão… assim, se plantar maçã, você não terá como colher mamão. Se você olhar dentro da vagem que nasce deste feijãozinho, encontrará vários feijões. Tem um ditado popular muito verdadeiro que diz o seguinte: O QUE VOCÊ PLANTA, VOCÊ COLHE.
Conta uma história que todas as atitudes de amor que temos aqui na Terra, como ajudar as pessoas que precisam de nós, ajudar os nossos pais a cuidar da casa, cuidar das pessoas que são mais velhas e precisam de nós, ajudar nossos amigos na escola, ajudar nossos irmãos, enfim fazermos o bem… é como se fôssemos ajuntando tijolinhos no céu e quando chegar o nosso dia de ir pra lá, com o tanto de tijolos que tivermos mandado, é que será construída a nossa casa no céu, onde moraremos para sempre. Que tamanho será a sua casa, heim???

Portanto, quem planta AMOR, vai colher amor e ainda vai ganhar uma enorme casa no céu. E quanto mais amarmos, mais perto vamos estar de Jesus e também de Nossa Senhora.

Por falar em Nossa Senhora, imagina só como deve ser lindo o palácio de amor em que ela mora, bem no coração de Deus, isto tudo pelo quanto ela amou e nos ensinou a amar.

Para termos uma idéia do tanto que ela plantou amor, quando chegou o dia dela ir pro céu, os anjos vieram buscá-la.

Hoje Deus preparou algo muito especial para nós. Ele quer nos falar um pouco de sua mãe: Maria Santíssima.

Você assistiu o filme “Maria, mãe de Jesus”? Pois ele mostra um pouco do que Maria viveu e como viveu.

Era uma mulher simples, atenciosa, amorosa, gostava de ajudar as pessoas, era boa filha, e o mais importante, era alguém que rezava e conhecia bem a Palavra de Deus.

Foi a escolhida por Deus Pai, para gerar, cuidar e educar seu filho Jesus, juntamente com José. Maria ficou grávida pela ação do Espírito Santo, após nove meses Jesus nasceu num estábulo, pois não havia lugar para abrigá-los naquela cidade de Belém onde estavam.

Que mulher corajosa não!? Ter seu filho junto com os animais (burrinhos, bois, vaquinhas e etc), mas estava feliz, pois seu filhinho nasceu forte e bonito e era aquecido pelo bafo destes animais.

Voltando alguns dias depois para casa em Nazaré, foi cuidando de Jesus, dando banho, papinha e mama. Conversava com o seu filho, brincava com ele, viu seus primeiros passinhos e escutou suas primeiras palavras.

Maria era feliz!

Com o tempo, Jesus foi crescendo, passou pela adolescência e se tornou adulto. José o ensinou o oficio de carpinteiro e sua mãe o ensinou tudo sobre Deus e sua palavra. Rezavam juntos todos os dias e Jesus foi crescendo cheio de graça e sabedoria.

Maria participou dia-a-dia da vida de seu filho, cozinhando para ele, lavando suas roupas, indo a festas juntos, ensinando a ler e escrever, conhecia suas amigos, iam à Sinagoga (templo = Igreja) rezar e ouvir a Palavra de Deus. Ela sempre foi muito presente na vida de Jesus, renunciava muitas coisas para estar junto dele e servi-lo.

Aos 30 anos, Jesus começou a sair para as cidades vizinhas e povoados distantes, para levar o amor de Deus e mostrar a todos como era viver bem, deixando os pecados de lado, mudando de atitude, ensinando-os a rezar e a ter uma vida nova.

Nessa época Maria não ia junto, mas ficava em oração por toda obra evangelizadora realizada por Jesus e seus discípulos.

Sofreu muito quando o seu filho foi perseguido, bateram nele com chicotes, coroaram-no com espinhos e o levaram para ser crucificado.

Caminhou com Ele até o Calvário e viu o seu Jesus morrer na cruz. Seu coração estava esmagado pela dor do sofrimento.

Quando desceram Jesus da cruz, segurou-o em seus braços pela última vez. As lágrimas escorriam no seu rosto vendo seu filho morto e humilhado injustamente. Mas, mesmo assim seu coração estava cheio de esperança, pois sabia que não terminava ali aquela dor.

Depois presenciou Jesus ressuscitado: que alegria!!!

Maria viveu a sua vida toda santamente, sem reclamar, murmurar, acusar ou julgar quem quer que seja.

E você reclama? Murmura? Acusa os outros? Faz julgamentos?

Maria serviu toda a sua vida, rezou o tempo todo, estava sempre atenta em tudo e guardava tudo no seu coração.

Você ajuda a quem precisa, a qualquer hora? Reza sempre? Fica sempre atento a tudo que acontece para saber o que pode fazer? E ao invés de brigar, falar mal, julgar, guarda tudo em seu coração?

Pois bem, foi por tudo o que ela viveu, como aceitou e acolheu tudo, que recebeu uma grande graça, uma grande bênção, um grande presente de Deus: FOI LEVADA AOS CÉUS DE CORPO E ALMA. O que significa isso?

Você já rezou o terço? Nos “Mistérios Gloriosos” contemplamos a “Assunção de Nossa Senhora ao céu”. É justamente isto: Maria não morreu, foi levada ao céu de corpo e alma. Fico imaginando Jesus vindo buscá-la e juntamente com os anjos levando-a para o céu.

É um mistério lindo, que também nós viveremos um dia, quando Jesus vier em glória.

Se já tivermos morrido, ressuscitaremos e se estivermos ainda vivos veremos com nossos olhos o que Nossa Senhora já viu, a gloria de Deus e conheceremos o céu. Você quer esse presente?

Ah! Mas vai depender também de você, das suas atitudes, da sua maneira de amar, de ajudar os outros, de rezar e querer cada vez mais conhecer as coisas de Deus.

Se você tiver dificuldade, pense em como foi a vida de Maria e peça que ela te ensine.

Experimente, vale a pena!!!

Que Maria, mãe de Jesus e nossa interceda por você e por mim.

Amém!!!

Denize Simões Ferreira – Diocese de Franca

Fonte: Portal Católico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...