A formação do músico católico é fundamental e a pedra principal é sua obediência e concordância litúrgica.
CASO O PLAYER DE ÁUDIO NÃO CARREGUE, ATUALIZE O NAVEGADOR ATÉ QUE SEJA ATIVADO O botão "PLAY".

domingo, 9 de novembro de 2014

O VIÁTICO

O viático é o sacramento de passagem deste mundo para a casa do Pai. Acaba ocupando o lugar da Unção dos Enfermos.

A igreja antiga dizia que ninguém pode partir sem receber a última comunhão, mesmo que esteja em pecado mortal. Relacionavam com a passagem do evangelho de Jo 6, 54, que diz: "quem come a minha carne e bebe o meu sangue eu o ressuscitarei no último dia". Havia testemunhos de cristãos que morriam com a comunhão na boca.

I. O VIÁTICO DEPENDE DA INTERPRETAÇÃO QUE DAMOS À MORTE

a) a morte como páscoa: assim como foi para o Cristo, uma passagem deste mundo para o Pai. Santo Inácio de Antioquia se refere a isso dizendo que o sol se põe no Ocidente e nasce na manhã seguinte no Oriente.

Assim como foi para os hebreus a libertação do Egito: uma libertação do pecado e da morte e a entrada no país da liberdade, assim a participação na páscoa de Cristo é a passagem deste mundo ao Pai em companhia e em comunicação com o Cristo da Páscoa.

O viático marca precisamente o momento inaugural da páscoa definitiva, manifesta e atualiza a eucaristia, que é a antecipação sacramental da passagem deste mundo ao Pai em comunhão com o Cristo na morte, antes que ela ocorra realmente.

Na igreja antiga cobria-se de branco o moribundo para dar um caráter pascal.

b) a morte como "agonia"

A morte é também para o cristão uma "agonia", um combate, o último "round" contra o mal. No batismo é muito claro esta luta contra o mal.

O viático representa e atualiza a vitória e o triunfo da morte de Cristo. É a segurança do cristão diante da insegurança, da angústia.

c) o viático como viagem para a eternidade

Jesus é apresentado como o piloto que pilota a nave perigosa, na perigosa travessia que aterrissa no porto da paz.

É o Bom Pastor que carrega com carinho suas ovelhas até o redil.

II. ACEITAÇÃO CRISTÃ DA MORTE

Viático:
  • deve ser dado quando a morte é iminente;
  • quem recebe deve estar lúcido;
  • é um abandonar-se nas mãos de Cristo para que o acompanhe à casa do Pai;
  • tem uma relação com o batismo = assume a mesma fé professada no batismo pelos pais e padrinhos;
  • ninguém sabe a hora = é bom adiantar o viático
  • não precisa ser a última comunhão.
III. DIMENSÃO COMUNITÁRIA DO VIÁTICO

Na morte estamos sós, mas ao mesmo tempo é um acontecimento profundamente comunitário, pois todo o povo está em marcha, está realizando a Páscoa (passagem).

Os textos litúrgicos falam da união da igreja do céu com a igreja da terra, que acompanha o cristão no transe tão decisivo.

O cristão sabe que não enfrenta a morte solitário, mas como membro de uma comunidade de fé, acompanhado por um povo imenso.

Logicamente na Eucaristia aparecerá melhor este caráter comunitário, pois igual à última ceia do Senhor na véspera de sua morte, como uma comida de despedida que a comunidade oferece a um de seus membros que parte para a casa do Pai.

Era precisamente este significado do "viaticum" na antiguidade, um banquete de despedida oferecido a um e seus membros que sai de viagem.

Neste aspecto o "abraço da paz" era um abraço de despedida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...